EDP

EDP propõe aumento inferior ao aumento do salário mínimo!

Se a inflação reconhecida é 1,4%, porquê insistir em propostas mais baixas?

A Justiça Salarial precisa de incremento sério!

 

Na terceira sessão de negociações realizada hoje a empresa manteve a posição de só reconhecer mérito ao conselho de administração propondo 0,6%.

 

O SIEAP mantém os objetivos de princípio iniciais, valorizando os salários mais baixos não retirando valor aos salários mais elevados.

Mantemos o objetivo transversal a todos os subsídios/cláusulas de expressão pecuniária.

 

Discriminação negativa, Assim Não!

4,97€ à Br1

24,30€ à Letra Q

Justifica-se em trabalho e produtividade 5 vezes mais?

Não seria justo colocar o valor das BR 1  e 2, e letras A2 e A1 criadas artificialmente para aumentar a discriminação no valor da BR e Letra seguintes?…(clica aqui e vê)

Se o aumento não for em Valor, aumentam as injustiças!

 

"O meu salário equivale ao de um defesa direito de um clube do meio da tabela"(…) António Mexia:

Teto de vencimentos de António Mexia passa de 1,9 para 2,5 milhões de euros por ano (Expresso)

A ganhar mais de 7 mil euros por dia, Mexia queixa-se de baixo salário; Em 2016 o conselho de administração executivo recebeu 10,87 milhões de euros, ou 1,1% do resultado líquido da EDP. (Expresso)

 

Então, e nós os trabalhadores?

 

“Não fique como a nêspera”, sindicalize-se no SIEAP

Subsídio de estudo, energia e campos de férias

APRESENTÁMOS SOLUÇÕES

Prevendo o que dizíamos no nosso anterior comunicado, fizemos um esforço de modo a mitigar prejuízos causados pela administração com a displicência de vários sindicatos.

É bom lembrar que O SIEAP propôs a todos os Sindicatos e à Comissão Coordenadora de CT’s do Grupo EDP, uma reunião onde fosse possível um diálogo e a procura de unidade para os temas em discussão com a EDP que nunca quiseram levar à prática e ficaram como a nêspera!

Continua

Subsídios de Estudo, responder à realidade com justiça:

5 princípios a observar:

  1. Incremento muito significativo no ensino superior.
  2. Valorizar os custos maiores dos estudantes de fora da área de influência das universidades.
  3. Incrementar valor de 300€ na parcela dos trabalhadores Flex.
  4. Retirar as compensações de penosidade para o cômputo retributivo, quem faz disponibilidade ou turnos é o pai não é o filho!
  5. Introdução de valor mensal ao ensino pré-escolar, extensivo a todos os trabalhadores. Proposta de escalões: 
    1º: letra J  100% (valor letra J=2854)

    2º:>Letra J<letra Q    75%

    3º: Letra Q   0% (valor letra Q=4050)

    Energia elétrica, uma proposta que “resolve”
    O SIEAP foi o único sindicato a reunir com a Direção da Autoridade Tributária. Dela recebemos um parecer jurídico que demonstra obrigar à tributação em IRS e IVA. Assim a única solução é subir os tetos e já o apresentámos à empresa:                                                                  Resumo da proposta:
    • Benefício de 90% da fatura de eletricidade
    • Teto anual: 1641 € 
    É necessário acabar, também neste aspeto, com a discriminação dos trabalhadores do FLEX. A empresa diz não querer, resta aos trabalhadores apoiar o SIEAP e pressionarem a EDP.

    Desta forma, se considerarmos um consumo anual de 10 mil Kwh, o beneficiário deverá ter uma vantagem significativa. Assim os trabalhadores nos apoiem para obrigar a empresa a “vir a jogo”.

     

    Campos e colónias de férias

    Detetámos o acordo de praticamente todos os sindicatos de 75 € por criança.

    Nos princípios que deram origem à criação das colónias de férias recusamos o pagamento. 1% dos altíssimos salários da administração e conselho de supervisão chegam para pagar as despesas com as crianças.

    É preciso ir chamar Marcelo Rebelo de Sousa para vir à EDP falar de afetos?

     
    hidden content

Insistir em aumentos em percentagem significa desrespeito pelos salários mais baixos

Decorreu hoje a primeira sessão de negociações sobre a revisão salarial para o ano em curso. Tal como infelizmente prevíamos, a empresa e os sindicatos do “regime” mantêm este ano propostas perfeitamente discriminatórias, a ver: 

A EDP propõe um aumento de 0,2%, o que se significa 1,66€ para a Br 1 e 8,10 € Para a letra Q, 5 vezes mais!

Significativo este sentido de justiça?!

Continuamos a propor 50 € para todos!

A ter em conta: “Melhoria em 20% do OPEX” (…) “ultrapassada a meta de um milhão de contadores inteligentes instalados” (…) “manutenção da posição de liderança na comercialização da eletricidade e gás em Portugal” (…) “taxa de remuneração em 2018 garantida nos 5,75% antes de impostos” (…) “assinatura de contrato de financiamento de três mil e trezentos milhões de euros” (…) “um caminho de sucesso e de liderança”…
António Mexia.

Subsídio de férias:
O ACT estabelece que este subsídio deve ser pago em maio e só o foi nos anos anteriores em fevereiro para ultrapassar a questão legal dos duodécimos.
Não se colocando este ano esta questão, a EDP colocou à consideração dos Sindicatos a possibilidade de manter esta norma. Foi decidido por maioria das estruturas Sindicais o cumprimento do ACT/EDP.

“Não fique como a nêspera”, sindicalize-se no SIEAP

“Pouparam-nos 400 milhões,

 Que se devem a vocês. Parabéns”

António Mexia no último “Encontrão” 28-11-2016

Muito bem Dr. Mexia, queremos a nossa parte!

O SIEAP reuniu esta sexta-feira, dia 19 com o CAE tendo-se tratado, principalmente, os seguintes temas:
Subsídio de estudo, campos de férias, energia elétrica, comparticipações Sãvida, avaliação de desempenho, transferências de local de trabalho por reestruturação da EDP Distribuição, tragédia dos incêndios, descontos para CGA…

Continua

Subsídio de estudo: o CAE informou ter as negociações já adiantadas com a maioria dos sindicatos. Para nós SIEAP:
a) Tendo sido consagrada a universalidade da educação pré-escolar a partir dos 4 anos (Lei n.º 65/2015 de 3 de julho) faz todo o sentido que aproveitando o momento de revisão do nosso sistema se passe a consagrar o pré-escolar. A nossa proposta é de um valor até 50€ mês;
b) Não aceitamos que para o cálculo do escalão do subsídio de estudo se considerem os valores pagos pela prática de regimes de trabalho penosos ou diferenciados - turnos e disponibilidade. O trabalhador já sofre a penosidade do trabalho e a filha ou filho ainda é castigado!?
c) Não aceitamos que os trabalhadores que residem e tem os seus locais de trabalho fora dos grandes centros sejam penalizados com a não consideração dessa situação. Entendemos que o valor do subsídio deve diferenciar pela positiva essas situações. A falácia de ser uma situação que burocratiza o sistema não passa disso mesmo, uma falácia. Quem mora no interior do país não pode ser castigado por esse facto. Faz ou não sentido?
Campos de férias: O “simples” facto do Sindel “ter aberto a porta ao pagamento”, introduziu um prejuízo aos trabalhadores. Tentaremos introduzir aqui algumas melhorias mas continuamos a entender que o mais correto seria ninguém pagar, seja do Flex seja do ACT 2000. A tão propalada responsabilidade social, neste como na generalidade dos casos, podia muito bem começar dentro de portas, retribuindo parte dos 400 milhões obtidos num só ano à custa das perdas dos trabalhadores.
Energia elétrica:
a) A EDP tem de garantir a TODOS os trabalhadores uma não discriminação sobre quem tem ou não conta certa (n.º3 da cláusula 111). Esteja-se na Comercial ou na Universal, no Flex ou ACT 2000, o valor a pagar na contabilização ANUAL, de todo o ano 2017, para TODOS, tem de ter a mesma formulação

b) Quanto à parte da questão fiscal, o SIEAP após ter reunido com a Autoridade Tributária (AT) e ter obtido desta parecer oficial, conta apresentar à empresa uma proposta que possa mitigar a dupla incidência de impostos. Pela informação obtida, que alguns andam há 2 anos para obter, poderemos desde já afirmar, atendendo ao entendimento e enquadramento fiscal que é tido pela AT, que não será possível, no atual enquadramento legal, anular a totalidade da perda sentida.
Comparticipações Sãvida: O portal que foi prometido em carta de 5 de maio de 2017 continua a não existir e são várias as queixas de respostas atrasadas, incorretas e cálculos de comparticipação errados. Aconselhamos que se façam cópia ou digitalização dos documentos e verifiquem os valores recebidos.
Avaliação de desempenho: Desde outubro de 2017 que se espera que o trabalhador possa consultar a sua pontuação no about me, até hoje! Informaram-nos que a aplicação está feita, a informação levantada e que será enviada às empresas do grupo para validar. Possivelmente em fevereiro estará disponível Vamos ver!
Transferências de local de trabalho, dois aspetos diferentes:
a) Estamos a tentar dar um contributo positivo para a resolução de problemas de mobilidade de quem se associou no SIEAP e várias parecem estar no bom caminho pois tentámos construir soluções de benefício mútuo trabalhador / empresa;
b) As transferências por reestruturação da Distribuição tem de ser justificadas em suportes objetivos e escritos e não em conversas informais. Em vários momentos, porta-vozes de Direções e Administração afirmaram que a reestruturação e a introdução do Jump não levaria a mudanças de locais de trabalho.
Tragédia dos incêndios: pretendemos que os trabalhadores que exerceram trabalhos de recuperação das zonas tragicamente atingidas sejam alvo pela medicina no trabalho de despiste de doenças nomeadamente respiratórias.
Descontos para CGA: Vários trabalhadores dirigiram-se à CGA tendo esta se recusado a dar informações. Acontece que há situações de descontos de trabalhadores ex. Federações para CGA Regionais que não estão a ser compatibilizados pela CGA Central. Nós trabalhadores temos vantagem em esforçarmo-nos para que a verdade seja reposta e a EDP tem aqui também obrigações a cumprir.
Revisão salarial 2018: O SIEAP foi convocado para participar no processo de revisão salarial anual. Participaremos com toda a convicção de que poderemos dar um contributo importante para diminuir as desigualdades que se têm acentuado ao longo dos tempos. A nossa proposta de 50€ para todas as bases e letras é um princípio.

“Não fique como a nêspera”, sindicalize-se no SIEAP
(clique aqui e envie-nos o PDF)

hidden content

 

 

Está na hora de pôr os pontos nos is!

Subsídio de estudo; energia elétrica; campos e colónias de férias; saúde; tabela salarial

Perspetiva-se a conclusão da revisão dos processos respeitantes ao Subsidio de Estudo e às Colónias e Campos de Férias.
Mais uma vez os trabalhadores poderão ser confrontados com um acordo, promovido pelos ditos “sindicatos mais representativos”, Sindel e Fiequimetal, que não terá em conta os seus legítimos anseios. Este previsível acordo, não respeita princípios fundamentais, nem sequer será justo.

O SIEAP propôs a todos os Sindicatos e à Comissão Coordenadora de CT’s do Grupo EDP, uma reunião onde fosse possível um diálogo e a procura de unidade para os temas em discussão com a EDPContinua

A reunião realizou-se em outubro pp e a maioria dos sindicatos primou pela ausência. O SIEAP reforçou com a proposta de unir forças para as negociações à tabela salarial - não houve respostas!

O coordenador das CT’s assumiu a proposta de convocação de uma reunião geral de representantes no grupo EDP (CTs, subCTs e todos os sindicatos)… Até hoje (…)!

Primeira conclusão: Os diversos sindicatos, até agora existentes na empresa, em particular Fiequimetal e Sindel, continuam no seu “castelo pequenino” – qual avestruz com a cabeça na areia, preferindo a divisão e a perda contínua de direitos, a iniciar um trabalho conjunto e positivo!

É curioso que, por não estar de acordo com o pagamento das colónias de férias, o Sindel tenha, em abril 2017, ameaçado a empresa com ações em tribunal e recentemente tenha vindo propor à EDP o pagamento de 50€. Abriu a porta, a administração entrou e aplicou 150€. Coincidências!

Entendemos que o argumento “a empresa não quer” não é válido para sustentar posições de não defesa do que é mais justo para aos trabalhadores

O SIEAP continuará a defender a unidade dos trabalhadores com propostas, como a revisão salarial para 2018 e 2019, que diminuam as injustiças que afetam os mais jovens, Flex, trabalho de turnos... (clique aqui e veja a info)

Haja quem ponha os dedos na ferida - não esperemos o prejuízo para ir a correr atrás dele!

Enfrentemos corajosamente as dificuldades e o desmando que se vive nas empresas onde trabalhamos, unidos e de cabeça erguida.

“Não fique como a nêspera ”! Sindicalize-se no SIEAP  (clique aqui)

hidden content

Negociação da Tabela Salarial EDP 2018

Apresentada proposta, assente em dois pilares:

  • Garantir a todos os trabalhadores uma atualização igual em valor, mas também considerar as cláusulas de expressão pecuniária (subsídios, feriados, trabalho suplementar e outros) duma forma equitativa. Esta proposta de um valor em numerário justo e igual para todos não conflitua com as 27 bases de retribuição e pressupõe não aumentar a injustiça da permanente ampliação entre os leques salariais;

Uma tabela salarial para dois anos pode ser positiva e estabilizar de forma expedita e automática a atualização salarial no segundo ano em função de dados estatísticos oficiais e conhecidos de todos. Os trabalhadores terão assim uma previsibilidade a dois anos, de aumentos e valores salariais mais justos a auferir e as Empresas poderão fazer o seu planeamento financeiro num prazo mais dilatado o que entendemos como positivo.Uma tabela salarial para dois anos pode ser positiva e estabilizar de forma expedita e automática a atualização salarial no segundo ano em função de dados estatísticos oficiais e conhecidos de todos. Os trabalhadores terão assim uma previsibilidade a dois anos, de aumentos e valores salariais mais justos a auferir e as Empresas poderão fazer o seu planeamento financeiro num prazo mais dilatado o que entendemos como positivo.

 continua

50 euros - Dois anos

 Uma proposta que beneficia TODOS

Nota1: Se o desvio da inflação for superior a 0,5%, implica a convocação de reunião negocial extraordinária até à segunda semana de janeiro de 2019;

Nota 2: Se o desvio da inflação se situar até 0,5%, implica o ajustamento automático na tabela salarial de 2019 a partir de janeiro do mesmo ano.

Outras Propostas:

  • Redução progressiva do horário de trabalho até às 35 horas;
  • Eliminação das Bases de retribuição 1 e 2 assim como das Letras A1 e A2. Aos trabalhadores enquadrados nestas Bases de Remuneração e Letras, aplicar-se-á em 2018 a BR/Letra seguinte (BR3 e A) com a atualização salarial acordada.
  • Subsídio de turnos, folgas rotativas, IHT e outros - valor fixo a indexar à BR 3.
  • O trabalho suplementar e por turnos, incluindo os feriados, passam a ter valores indexados à tabela salarial;
  • Princípios:

    • A atualização salarial em percentagem cria, de facto, diferenciações cada vez mais assinaláveis e injustas porque aumenta o leque salarial entre os salários mais altos e os mais baixos.
    • A EDP defende esta ideia quando propõe subsídios de estudo diferenciados em função do salário de cada um.
    • Calcular o valor da atualização duma forma que todos os trabalhadores tenham o mesmo valor nominal.
    • Trabalho extraordinário, noturno e em feriado deve ter valor nominal em concordância com o enunciado no ponto anterior.

    Subsídios e prémios vários (Turnos, folgas rotativas, IHT, etc.), devem ter o mesmo valor nominal indexados a Bases de retribuição específicas (ver quadros abaixo).

    BR

    2017

    50 €

    Lt

    2017

    50 €

    1

    828

    878

    A2

    1.354,00

    1.404,00

    2

    875

    925

    A1

    1.452,00

    1.502,00

    3

    927

    977

    A

    1.562,00

    1.612,00

    4

    985

    1035

    B

    1.699,00

    1.749,00

    5

    1.053,00

    1103

    C

    1.837,00

    1.887,00

    6

    1.111,00

    1161

    D

    1.973,00

    2.023,00

    7

    1.186,00

    1236

    E

    2.110,00

    2.160,00

    8

    1.256,00

    1306

    F

    2.250,00

    2.300,00

    9

    1.354,00

    1404

    G

    2.383,00

    2.433,00

    10

    1.452,00

    1502

    H

    2.543,00

    2.593,00

    11

    1.562,00

    1612

    I

    2.699,00

    2.749,00

    12

    1.677,00

    1727

    J

    2.854,00

    2.904,00

    13

    1.794,00

    1844

    K

    3.013,00

    3.063,00

    14

    1.901,00

    1951

    L

    3.165,00

    3.215,00

    15

    2.023,00

    2073

    M

    3.324,00

    3.374,00

    16

    2.136,00

    2186

    N

    3.502,00

    3.552,00

    17

    2.250,00

    2300

    O

    3.684,00

    3.734,00

    18

    2.364,00

    2414

    P

    3.867,00

    3.917,00

    19

    2.477,00

    2527

    Q

    4.050,00

    4.100,00

    20

    2.596,00

    2646

         
    21

    2.708,00

    2758

         
    22

    2.821,00

    2871

         

hidden content

Respeitar os “PASSADOS, ser firmes no presente, garantir futuro

Reformados, pré-reformados, pensionistas mas também aos ativos

Solidariedade geracional tem que funcionar

Temos recebido variadas comunicações, mesmo através das redes sociais, dos mais diversos lugares onde estão os nossos colegas, agora reformados ou pré-reformados da EDP mas não da vida.

Apraz-nos registar pela positiva, a confiança que detêm neste Sindicato e nas pessoas que estão na Direção, mesmo não sendo sindicalizados na sua maioria. Pela negativa, verificamos que as suas queixas, protestos e reclamações não são infundadas. Há de facto razão para o sentimento de insegurança quem toda a sua vida viveu e trabalhou para uma empresa que criou estruturas seguras e que agora vão falhando por variados lados. continua

hidden content

Reivindicar e lutar pelos direitos de quem trabalha é obrigação das estruturas que se dizem Sindicatos. E os direitos de quem já trabalhou quem os defende?

O SIEAP está no movimento Sindical independente sem tutelas para considerar todos: Empregados, Desempregados e reformados.

É óbvio que independentemente da postura solidária, os associados têm e são bem-vindos a dar opiniões sobre o que em cada momento está em causa.

Temos a possibilidade dos reformados se tornarem sócios mediante uma quota solidária (aqui ou aqui).

Para além da necessidade em reivindicar direitos retirados no período da troika para quem trabalha, estamos constituídos em comissão negociadora com a EDP para alterar normas do ACT/EDP que abrangem TODOS.

Campos e colónias de férias, subsídios de estudo, energia elétrica e saúde, são temas abrangentes de muito difícil negociação mas que com o nosso querer e o apoio demonstrado por muitos, cremos que poderemos chegar a bom porto.

Porque acreditamos que só a convergência de estruturas pode tornar mais fácil e proveitosa a negociação, fizemos convite a todos os Sindicatos no sentido da possibilidade do estabelecimento de posições conjuntas ou próximas. Até ao momento, apenas um respondeu positivamente. É claro para todos que assim, a unidade não se constrói e a responsabilidade disto caberá a quem a tem. Nós não desistimos e vamos continuar a fazer o que acharmos que os nossos associados entenderem dever ser feito. 

Estamos abertos à mudança e junção de forças para uma proposta comum frutuosa e ABRANGENTE. 

EDP MOTIVA NOVA REUNIÃO DO SIEAP COM MINISTÉRIO DA ECONOMIA

Atenção aos links Porque nos tentamos antecipar aos problemas, colocámos detalhadamente muitas questões que sugerimos que leias com muita atenção no link.

1. Concessões em B.T a. Continuidade dos direitos dos trabalhadores - que o SIEAP “conseguiu” na Lei 31/2017 de 31 de maio - que precisam de continuidade na portaria normativa e nos cadernos de encargos; b. Variedade das situações, trabalhadores que vieram de privadas, municípios, já reformados, pré-reformados, ativos, etc, etc; c. Encargos sociais com os trabalhadores: saúde, energia… d. Lançamento de concurso, cuja legalidade duvidamos, por S. João da Madeira; e. Falhas na portaria 454/2001: ativos, trabalhadores, novas realidades na rede elétrica… f. Impacto de fim de concessões nos trabalhadores dos PSE.

2. Fusão da EDP com a espanhola Gás Natural / Fenosa, posição do governo, direitos dos trabalhadores. 3. Possibilidade, ou não, de a REN poder comprar a Distribuição, tal como comprou a EDP Gás Distribuição, “incongruências” no Decreto-Lei n.º 215-B/2012: Operador de Rede Distribuição / ORD Transporte? 4. Regulamento de Qualidade de Serviço agora aprovado pela ERSE. 5. Incerteza do tempo e condições de funcionamento das Centrais Termoelétricas. 6. Operação de CutOuts – e-mail que enviámos ao Diretor de Segurança, Sub Diretor, DRH e GRH Pretendemos o envolvimento de todas as pessoas, incluindo reformadas, porque estes processos de transição de políticas só não trarão prejuízos, se o envolvimento e o interesse dos trabalhadores se verificar nos mais variados locais de trabalho destas áreas. Consulta toda a extensa informação no link

 “Não fique como a nêspera” – sindicalize-se no SIEAP. Descarregue a ficha no site e envie-nos.

Uma nêspera/estava na cama/deitada/muito calada/a ver/o que acontecia/

Chegou a Velha/e disse/olha uma nêspera/e zás comeu-a/

É o que acontece/às nêsperas/que ficam deitadas/caladas/a esperar/o que acontece/

Mário Henrique Leiria, Novos Contos do Gin, 1978, p. 31

     

Negociações EDP – reunião de 27 de Setembro

Informações úteis

  1. Informações Sãvida (circuito de reembolsos)

Informou hoje a empresa que, a partir do próximo dia 1 de outubro, todos os documentos para reembolsos podem ser entregues nas portarias EDP e ou nos postos médicos Sãvida.

Assim, cada utente, deve preencher o documento de reembolso (1 por cada ato médico), juntar sem agrafar os documentos comprovativos, introduzi-los num envelope, endereçá-lo a “REEMBOLSOS MÉDICOS”, identificar remetente (não esquecendo o número de utente Sãvida), fechar e entregar nos locais indicados.

continua

hidden content

(Aconselhamos, que por questões de segurança, devem os documentos a enviar, ser previamente copiados e guardados pelo beneficiário.)

  1. Encerramento de postos médicos da medicina no trabalho:

Informou a empresa que brevemente irá encerrar postos médicos que prestam medicina no trabalho nos seguintes locais:

Viana do Castelo, transferirá este serviço para Braga; Guarda e Seia para Viseu; Castelo Branco para Abrantes e Aveiro para o Porto.

O tempo de deslocação e o exame médico têm que ser realizados em horário de trabalho conforme a lei.

  1. Metodologia de negociação dos temas: Subsídio de estudo, Campos de Férias, Energia e Saúde

Ficaram referenciadas reuniões quinzenais.

Independentemente da metodologia encontrada, o SIEAP propõe publicamente a todos os Sindicatos, uma reunião para o encontro de uma boa posição conjunta, que seja melhor para todos os trabalhadores.

  1. Instabilidade na EDP Distribuição

Fora da ordem de trabalhos desta reunião, o SIEAP apresentou a seguinte declaração:

A introdução do JUMP na EDP Distribuição, acompanhada de uma reorganização na estrutura da empresa, merecia uma discussão aberta com todas as estruturas sindicais. A ausência da necessária informação e debate, teve como consequência uma vasta onda de “boatos”, versões de organização futura e ou transferências de local de trabalho ou funções. Objetivamente o CAE está a criar uma situação de instabilidade desnecessária.

Associa-te ao SIEAP. Descarrega a tua ficha no site: www.sieap.pt

 “A reunião que foi uma “coisinha assim”

Decorreu esta segunda-feira (21/8) uma reunião plenária de sindicatos com o CAE Grupo EDP. O SIEAP esteve presente.

continua

hidden content

O Eng. Miguel Setas, Administrador com o pelouro dos Recursos Humanos, em representação do CAE, manifestou alguma surpresa com os documentos enviados à empresa por algumas organizações sindicais, uma vez que a abertura ao diálogo da empresa sempre foi total e essa postura não tinha sofrido alterações. Reafirmou que, como sempre, havia da empresa total disponibilidade para em conjunto se tentar encontrar soluções em relação às diversas matérias em discussão. Não apresentou para nenhum dos assuntos nova proposta. Recordamos nós a todos os trabalhadores que a maioria destes assuntos foi criada na última negociação do ACT (2014) por exclusiva responsabilidade da Administração e dos restantes interlocutores dessas negociações. Portanto há mais de 2 anos que se espera que os diálogos que sempre existiram deem os seus frutos. Temporalmente não é possível, mas, até parece que este processo foi a fonte de inspiração ao famoso sketch dos Gatos Fedorentos…

A posição do SIEAP, transmitida à empresa sobre as matérias da ordem de trabalhos e outras introduzidas no início da reunião foi:

  1. Correção da forma de desconto de energia. O SIEAP reiterou a sua proposta que transforma o desconto financeiro em desconto em espécie para que possa deixar de ser tributado em IVA e IRS. (Proposta entregue empresa em março de 2017 que ainda não obteve resposta).
  2. Pagamento dos campos e colónias de férias. O SIEAP defendeu que nenhum trabalhador deve ter que pagar; aliás, os trabalhadores da REN não pagam e utilizam os campos. O valor que a administração recolhe é diminuto e só tem significado como “coima” sobre nós.
  3. Subsídio de Estudo. Informámos a empresa que no mais curto espaço de tempo iremos entregar uma proposta própria sobre esta matéria.
  4. Saúde e Sãvida.
  • O CAE diz ser um trabalho “estruturante” e afirma que a Comissão de Acompanhamento vai passar a reunir de três em três meses, ou seja, o CAE aceita cumprir o que já está escrito no ACT! O SIEAP vai defender que existam eleições dos representantes para a Comissão de acompanhamento pois “a culpa não morre solteira”;
  • Questionado pelo SIEAP, o CAE afirmou não ter conhecimento da previsão de encerramento de postos médicos;
  • O SIEAP reitera a degradação da qualidade de serviços e recorda que a Sãvida tem 3 milhões de euros de lucros anuais.

Informamos também a empresa, que pretendemos apresentar um conjunto de propostas sobre esta matéria no mais curto espaço de tempo possível.

  1. Mudança de nome e símbolo da Distribuição, Comercial e Universal. O CAE não vê impacto sobre os funcionários. Esperam-se conclusões da ERSE

O SIEAP, criado em descontentamento com as injustiças e discriminações, participará em reuniões bilaterais com o CAE e fará propostas concretas para a resolução dos problemas que outros criaram ou deixaram arrastar.

Defendemos um consenso plenário com todos os sindicatos mas que seja positivo para nós trabalhadoras e trabalhadores da EDP.

Associa-te ao SIEAP. Descarrega a tua ficha no site: www.sieap.pt

Subsídio de estudo, Colónias de férias, Energia elétrica e Saúde

Proposta comum vai construir-se?

Está agendada para esta próxima quinta-feira a reunião para a qual convidámos todos os Sindicatos e a Coordenadora de Comissões de Trabalhadores do Grupo EDP, nas instalações desta em Lisboa.
Tal como nós, que iniciámos hoje a segunda ronda de reuniões com a EDP sobre subsídio de estudo, todos os Sindicatos têm propostas – esperamos que a nossa iniciativa possa propiciar um encontro de Unidade.

continua

hidden content
No nosso caso a proposta centra-se na melhoria dos subsídios onde gastamos mais dinheiro:
i) Na criação de um subsídio para o pré-escolar;
ii) Melhorando os subsídios no ensino superior;
iii) Desburocratizando o sistema;
iv) Questionando os escalões;
v) Melhorando este apoio aos trabalhadores Flex.
Assumimos que a nossa atitude é ambiciosa, parte dela poderá não ser conseguida, mas cá estamos paratentar corrigir injustiças!
Renovamos:
Estamos abertos à mudança e junção de forças para uma
proposta comum frutuosa.
Lisboa, 24 de outubro de 2017
A Direção
Associa-te ao SIEAP. Descarrega a tua ficha no site: www.sieap.pt